quarta-feira, 29 de julho de 2015

Patriarcado de Antioquia dos Greco-Melquitas


O Patriarcado de Antioquia dos Greco-Melquitas é a Sé Primacial da Igreja Greco-Melquita, uma das 22 Igrejas Orientais Sui juris em comunhão com a Igreja de Roma.

Nascida em Antioquia, a Igreja Greco-Melquita não é uma igreja nacional, embora intimamente ligada à Síria. O Patriarcado está associado também às sés patriarcais de Alexandria e Jerusalém.

A Igreja de Antioquia, na atual Turquia, é considerada a Igreja dos gentios mais antiga do mundo, segundo São Lucas, ele próprio um sírio de língua grega. Ali os discípulos do Senhor receberam, pela primeira vez, o nome de cristãos.  A de Jerusalém, por outro lado, era formada basicamente por judeus conversos. Os Apóstolos São Pedro e São Paulo são considerados os fundadores da Igreja, tendo sido São Pedro seu primeiro bispo. Antes de partir para Roma, São Pedro deixou os Santos Evódio e Inácio como chefes, tendo ambos perecido debaixo da perseguição romana.

No primeiro Concílio de Niceia (325) é reconhecida a importância do bispo de Antioquia e à Sé é conferida a condição de Patriarcado, juntamente com Roma, Alexandria e Jerusalém.

A proeminência da Igreja de Antioquia tornou ainda mais dramática a disputa em torno da profissão de fé calcedoniana. Em 518, o Patriarca Mar Severius de Antioquia, anti-calcedoniano, foi deposto e procurou refúgio em Alexandria.

Um Patriarca calcedoniano, Paulo, manteve a sucessão dos Patriarcas de Antioquia, cuja Igreja passa a ser conhecida como Greco-Melquita. Tornou-se conhecida pelo nome "grego", em razão de sua vinculação ao Império Romano, de língua grega, e pelo de "melquita" (real), em razão de sua posição teológica em favor do imperador no Concílio de Calcedônia. Tal alcunha tinha caráter pejorativo e lhe foi dada pelos hereges monofisitas. 

A ligação com o Império Bizantino lhe daria uma liturgia própria, o Rito Bizantino, que se sobrepôs ao seu Rito Antioqueno original.

Depois do Grande Cisma, os Melquitas procuraram manter equidistância entre as Sés de Roma e de Constantinopla. Mas tal atitude mudou e o Patriarca se alinhou sempre mais com Constantinopla, rompendo assim a comunhão com a Igreja de Roma.  Tentativas infrutíferas foram feitas para se restabelecer a comunhão, entre elas, o Concílio de Basileia-Ferrara-Florença.

Em 1724, os bispos melquitas da Síria elegeram Cirilo VI Tanas como Patriarca. Considerado muito ocidental, foi deposto pelo Patriarca de Constantinopla, o qual nomeou um monge grego como Patriarca. Desde então passou a haver dois Patriarcas para aquela Sé, o Greco-Melquita e o Greco-Ortodoxo.

Em 1729, o Papa Bento XIII reconheceu Cirilo VI como legítimo Patriarca de Antioquia e a Igreja Greco-Melquita de Antioquia voltou à comunhão com a Igreja universal. Os cismáticos se constituíram numa Igreja vinculada a Constantinopla e renunciaram à identificação de melquita em favor de greco-ortodoxa.

O Patriarca Greco-Melquita, em comunhão com a Igreja de Roma, considera-se também o legítimo hierarca dos greco-melquitas de Alexandria e Jerusalém.

Também a Igreja Siríaca Católica e a Igreja Maronita tem suas origens na antiga Sé de Antioquia.

O território próprio do Patriarcado é todo o Oriente Cristão e o mundo árabe. Seus 1 milhão e 620 mil fiéis estão principalmente na Síria, no Líbano, na Jordânia e em Israel. Conta também com milhares de fiéis espalhados pela diáspora nos Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Austrália e Nova Zelândia.

Sua sede fica em Damasco, na Síria.

Conta com 1 Arquidiocese própria do Patriarca, a de Damasco, 1 Arquidiocese Metropolita, a de Tyr, no Líbano e 12 Arquidioceses. Forma-se ainda de 5 Dioceses, 2 Exarcados Apostólicos, 3 Exarcados Patriarcais e 2 territórios dependentes do Patriarca - (Lista de Circunscrições Eclesiásticas).

Governo

Sua Beatitude Gregorios III Laham 
Patriarca de Antioquia dos Greco-Melquitas



Nascimento: 15/12/1933, em Darayya, Síria.
Ordenação Sacerdotal: 15/02/1959.
Sagração Episcopal: 27/11/1981 como Arcebispo Vigário Patriarcal em Jerusalém e, desde 1990, exarca patriarcal de Jerusalém. 
Eleição Patriarcal: 29/11/2000.

Site Oficial do Patriarcado: http://www.pgc-lb.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário